Segue a íntegra da nota:

A Associação Brasileira de Preservação Audiovisual manifesta seu pesar pelo incêndio do dia 3 de fevereiro de 2016 que atingiu o depósito de nitratos da Cinemateca Brasileira, destruindo, conforme nota oficial da instituição, cerca de 1.000 rolos.

O nitrato de celulose foi o suporte profissional utilizado no cinema até 1950. Apesar de sua alta inflamabilidade, é consenso junto aos profissionais de preservação audiovisual que, se conservado nas condições adequadas e examinado regularmente, ele pode ser preservado em segurança por um longo tempo. Todos os filmes em nitrato de celulose são considerados matrizes de preservação. A perda de qualquer rolo, mesmo quando já copiado para outros suportes, é sempre preocupante, inclusive porque qualquer cópia apresenta perda de qualidade em relação ao original.

A notícia de que \"uma pequena parte\" dos rolos destruídos pelo incêndio não tinha sido copiada é alarmante, pois significa que essas imagens e sons do passado do cinema brasileiro se foram para sempre. O fato dos filmes destruídos estarem em domínio público, como informa a mesma nota oficial, ressalta apenas que essa perda foi de todo o povo brasileiro.

Desse modo, os preservadores audiovisuais brasileiros representados pela ABPA pedem à Secretaria do Audiovisual e à Cinemateca Brasileira esclarecimentos sobre o incêndio, incluindo maiores informações sobre quais os filmes afetados, se já tinham sido duplicados e, em caso positivo, para qual suporte.

Lembramos também que a duplicação das matrizes em nitrato, além da revisão periódica do material, são normas internacionais que se fossem cumpridas poderiam ter evitado o incêndio.

Uma vez que a Cinemateca Brasileira é vinculada à Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, a ABPA vem pedir a atenção máxima do governo brasileiro para esta tragédia de repercussão internacional, que precisa ser analisada e seguida de medidas concretas que evitem novas perdas. Essas medidas passam inevitavelmente por ações que permitam que a Cinemateca Brasileira volte a funcionar em condições satisfatórias, cumprindo sua missão de preservar o patrimônio audiovisual sob sua guarda.

Mais do que isso, o incêndio é uma prova cabal de que a implantação de um Plano Nacional de Preservação Audiovisual, desenvolvido conjuntamente pelo governo e sociedade civil, não pode mais ser adiada.

Diretoria | Associação Brasileira de Preservação Audiovisual - ABPA

 e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. 


Login


© Associação Brasileira de Preservação Audiovisual - Direitos reservados